CANARIOS MALINOIS

Canto Waterlagers

Apontamentos do canário de canto Malinois

Notas para o conhecimento do canário de canto Malinois

Tem como primeiro objectivo a conseguir a difusão e cria do canário de canto Malinois no nosso país, mantendo informados a criadores e aficionados, por isso a importância de estas notas que considero importantes para o melhor conhecimento desde a cria á educação de este magnifico canário cantor

Se sabemos que uma selecção se impõe tanto para fêmeas como para machos, admitiremos que é indispensável para o criador e mais para um juiz conhecer o canto e poder detectar nos seus próprios pássaros o bom, o suficiente, e o mau antes que um esperto juiz transforme a sua apreciação no julgamento em pontuações.

É um desejo que a leitura e estudo de estes apontamentos possa ajudar a difundir a criação e o conhecimento mais profundo de a composição e canto do canário Malinois no nosso país.

O CANÁRIO “WATERLAGER” MALINOIS 

CAPITULO I



DENOMINAÇÃO

A denominação oficial deste canário de canto é WATERLAGER um nome neerlandês que não tem tradução no nosso idioma mas com grande significado para os países baixos e da flandres (Holanda, Bélgica) Nós o conhecemos mais como canário de canto Malinois, embora waterlager significa que se trata de um canário de canto caracterizado por sons de água ou golpes de água.

ORIGENS

O waterlager ou Malinois é de uma origem muito antiga, tanto como o canário Harz.
Desde sempre foi considerado como um dos primeiros produtos da canaricultura e seguramente dos mais directos descendentes de um dos canários que descreve Juan Batista Xamarro no seu livro editado em 1604.
O escritor descreve no seu livro dois canários silvestres, um de cor verde-claro e outro de verde mais escuro que no canto tinha na maioria das suas notas como a do rouxinol,
E que uma dessas notas que tinha na sua canção era “chilrear” tal como descreve o escritor podia-se tratar de uma das notas negativas que conservam ainda alguns Malinois.
De toda a informação e história que conhecemos de este canário, sabemos que passou por ser detector de gases nas minas onde dentro do seu entorno e meio escutava a constante goteia de agua, o picar dos martelos de onde pode ter aprendido os sons metálicos e muitos outros que ele depois transformou em notas que com o tempo incorporou pouco a pouco no seu canto.



Desde o século XV, os mineiros das regiões de IMST e ANDRES BERG (no maciço de Harz) esforçaram-se em impregnar este canário com o canto do rouxinol que o colocavam nas proximidades de os canários jovens. Com muita paciência os mineiros conseguiram em parte o seu objectivo, sobretudo em países como a Holanda e Bélgica onde houve mais interesse na criação e enobrecimento deste novo tipo de canário de canto.
Enquanto que os criadores da região de Harz orientaram-se mais na criação de um canário de canto suave e doce (o canário de Harz), os belgas punham todo o empenho e esforço para conseguir o objectivo final que era um canário de canto do rouxinol, com todo o cuidado na selecção e cria, mais escrupulosos com o ensino do canto, e os juízes mostravam-se excepcionalmente exigentes, esta disciplina entre cria, ensino e juízes não demorou em dar resultados muito favoráveis ao canários de canto (canto rouxinol).

Depois de uma grande selecção e trabalho e obtidos estes exemplares, a este novo canário atribuíram o nome de “ Belgiche Waterlager “ que mais tarde correspondia á denominação de”Canário Belga” principalmente nas redondezas da cidade de Malinas, situada a uns vinte quilómetros a sul de Amberes, conseguiram obter bons resultados num curto espaço de tempo e também os melhores cantores. Para dar a conhecer seus canários e apreciar o seu canto, criadores e comerciantes divulgavam estes canários como que procediam da região de Malinas de modo que canários de canto Malinois ou simplesmente Malinois.

Para os criadores e aficionados de esse tempo, o nome de Malinois significava uma garantia no que respeita á raça do canário em questão (aspectos físicos etc. …).
Muitos criadores, com o fim de tentar melhorar o seu canto (mais doce, suave) ensaiaram cruzar o Waterlager com o Harz ou outros por esta razão o Malinois de raça pura diminuiu em numero enquanto apareceram Malinois bastardos e cruzados em números elevados. Lamentamos sinceramente porque este canário típico, forte e sólido não merece cair na desgraça da sua degeneração a que está submetido. Era bom e desejável que os criadores actuais fossem mais exigentes com a procedência de exemplares e se esforçassem para voltar a juntar os aspectos gerais (físicos, canto etc. …) do Malinois de antes.·
Tudo isto pela simples razão de que sem duvida alguma existe uma relação entre a postura, a forma e a solidez de este canário; O canto profundo e grave que é desejável que o tenha, como as suas próprias características.
Quais são as características que correspondem ao standard? Os holandeses fazem tempo que estabeleceram com conhecimento de causa o seguinte standard:

Standard:
Cabeça: -pequena – pico cónico – olhos negros e brilhantes
Pescoço: - delgado e comprido
Corpo: - arredondado – costas bem cheias – peito arredondado e amplo
Asas: - fechadas contra o corpo – as pontas não se cruzam
Patas: - comprimento médio – finas e pequenas
Cauda: - bem fechada
Plumagem: - fechado - liso e sedoso – sem ondulações
Cor: - amarelo limpo ou manchado – as manchas não devem superar 75% plumagem
Postura: - ligeiramente dobrado, curvado
Tamanho: - 16,5 cm
Condição: - saudável, sem doenças

Sobre este standard observamos que o tamanho 16,5 cm é uma medida a que não estamos muito habituados, igualmente peito arredondado e largo, e o pescoço delgado e comprido, indicações, estas que estão muito relacionadas com o volume e aparelho respiratório, (função do canto) por outro lado deve-se ter em atenção as cores originais que são exigidas, igualmente especial atenção á cor dos olhos.

Por este motivo canários com factor vermelho, brancos, cinzentos, verdes, ágatas, bruno e Isabel não são desejáveis. Olhos vermelhos ou de cor verdes são defeituosos.
Não esquecer a plumagem se não for lisa e tiver ondulações denota a falta de pureza da raça.
Qualquer aberração alheia ao standard leva-nos a crer que se trata de cruzamentos pouco ortodoxos, cruzamentos com o canário Harz, canários de cor, de postura etc. …

Também temos de esclarecer que existe uma categoria “ Canto, Cor “ que a C.O.M. admite nos concursos mundiais, onde por exemplo as aves brancas de canto Malinois participam da seguinte maneira o juiz de canto julga e faz a sua folha ( Planilha ) e o juiz de cor idem de essas duas pontuações tiram a média e a que melhor média tenha é a ganhadora.

 

 

Capitulo II

 

Generalidades relativas ao canto Malinois

 

 

O Malinois é juntamente com o canário Harz e o timbrado o melhor de todos os cantores que o homem pôde conseguir de a espécie Serinus Canarius .

Se existe certamente analogia entre os giros de canto de os três tipos de cantores é todavia inquestionável que as pronunciações e as interpretações se diferenciam notavelmente. Mas no que concerne aos giros de canto próprios, de um respeito aos outros não existe verdadeiramente comparação possível.

Podemos alegrar-nos porque é positivo que cada um guarde as características fundamentais da sua raça.

Falar do canto Waterlagers é fazer referencia ao canto do rouxinol o maestro dos cantores, quanto mais se aproxima o canto do Malinois ao do rouxinol mais ganha em valor.

È acima de tudo as batidas e golpes de água originários do rouxinol os que representam e constituem os giros capitais que dão o valor tanto ao canto como ao pássaro, estes são também os que formam a base fundamental do canto.

Os iniciados neste ramo devem por ultimo exigir umas garantias ao sujeito de a ascendência de os Waterlagers com os que vão começar a cria.

Essas garantias devem expressar-se na ficha de julgamento (planilla) a anilha o criador etc.…

Para manter a qualidade do canto é indispensável atribuir uns cuidados especiais na criação e submeter os jovens a uma aprendizagem adequada

Quanto á sua posição no poleiro, a postura e a forma do Malinois tem uma característica muito especial que lhe é própria e torna-se fácil reconhecer um entre todos os canários ;

O verdadeiro Malinois encurva-se quando canta, baixa ligeiramente a cabeça e ao mesmo tempo as asas enquanto exibe mais ou menos a cauda.

 Canta, como bem dizia um especialista francês “com o bico fechado e a boca aberta “.

 

 

Aprendizagem

 

Os jovens Malinois serão postos num voador onde encontrarão a ocasião de crescer, fortalecer e aprender as primeiras lições de canto.

Com esta perspectiva dois problemas apresentam-se imediatamente aos nossos criadores:

-Falemos em primeiro lugar de proporcionar os cuidados necessários aos nossos jovens Malinois.

Sabemos que estas grandes crianças são mais que susceptíveis ás doenças que os seus pais, efectivamente os primeiros sintomas de doença aparecem passadas de seis a nove semanas, recordemos sempre que mais vale prevenir que curar e com este principio de vista:

Renovemos a água a diário, o cuidado que as sementes sejam de primeira qualidade ,fumigar com insecticida especifico para pássaros limpeza regular de voadores e gaiolas e fundos limpos.

Quando se detecte um jovem com o menor sintoma de doença, separá-lo sem tardar de os outros e averiguar e cuidá-lo por separado.

Antes de começar as indicações em relação á aprendizagem elementar, tomamos nota sobre a lei que rege a herança, os jovens herdam as qualidades de seus pais, olhando a este princípio singular e isolado podíamos crer que toda a aprendizagem para os nossos jovens Malinois seria supérfluo. Isto naturalmente é falso porque ao lado da herança existem umas condições igualmente importantes como é a influencia do entorno ou meio, em outras palavras ao mesmo tempo que obedecem a inspirações naturais, devem ter um exemplo de qualidade.

Este exemplo virá do professor de canto, que se encontra com eles e que foi especialmente reservado, devido ás suas boas qualidades de canto.

Depois passado o verão e terem efectuado a muda a primeiros de Outubro os jovens cantores estão dispostos a afrontar a segunda fase da aprendizagem.

Momento que mudam de sitio e serão separados dos amigos de jogos e batalhas.

 

 

A colocação em gaiolas – ensino

 

É mais ou menos a princípio de Outubro, os aprendizes ao canto querem chegar a imitar os adultos com boa vontade de cantar, mas as aptidões para cantar convenientemente, não as têm ainda. Chegou o momento de obrigá-los a centrar-se sobre o canto.

Esta obrigação é possível impedindo-os desde este momento de jogar, brincar, picotar-se, lutar entre eles e distrair-se para somente ocuparem-se do canto.

Para prevenir e evitar todas estas peripécias é claro e lógico que se deverá separá-los convenientemente, colocá-los em gaiolas individuais tê-los em semi-escuro (penumbra)

E dar-lhes um professor de canto, desta forma nossos aprendizes não terão mais nada que fazer que o escutar e imitar.

Como falamos antes faz falta uma penumbra para os nossos alunos cantores, mas que seja um semi-escuro regulável, este sistema de regulação deve ser considerado como um travão ao canto que pode ser exagerado, abusivo e degenerado.

Efectivamente mais que outros pássaros de canto os Malinois mostram-se muito inquietos e nervosos, então se possível deve-se regular a temperatura colocá-los em um sítio adequado, com um sistema de ocultação de luz simples e regulável.

Habitualmente os criadores de canto dispõem de uma instalação especial para proceder a esta fase importante de aprendizagem, trata-se de um armário fechado com um pano ou cortina, as gaiolas de canto estão separadas por um cartão ou madeira,

É um dispositivo simples e prático que dá plenas satisfações.

O professor deve ser um Malinois de qualidade no canto o mais completo e perfeito possível, visto que a perfeição não existe neste mundo o melhor será suficientemente bom. Também tenhamos em conta o factor influência do meio ou entorno.

O uso de CD, cassete ou similares pelas experiencias realizadas e por o que tenho lido sobre este tema de momento não podem substituir o nosso professor cantor, produto da natureza.

Uma alimentação muito forte está vivamente desaconselhada por causar relutância ou preguiça.

Os ruídos duros, estridentes, não musicais que firam o ouvido em discórdia com o canto do canário é necessário eliminá-los .

Uma temperatura ideal seria aproximadamente 15º

O estado de saúde de os aprendizes deve-se controlar regularmente e de a forma mais completa, recordemos aqui uma vez mais os cuidados especiais respeito á comida, bebida, e higiene.

     

 

CAPITULO III

 

 

TREINO FACE AOS CONCURSOS

 

Aprendizagem. -

Depois de algumas semanas de lições nas gaiolas de canto, os jovens Malinois se descobrem como são, cantores de valor, cantores insuficientes ou defeituosos e medíocres de canto, nem vale a pena falar que os últimos não convêm para os concursos de canto.

Uma selecção é necessária, fará falta fazê-la ao mesmo tempo que durante o treino para os concursos.

Para proceder a este treino as gaiolas serão retiradas da penumbra do armário (escola) e expostas á luz de uma lâmpada, preferentemente se porão 4 gaiolas de cada vez.

Faremos de esta forma para:

1-     Habituar os pássaros á presença humana e ao julgamento

2-     Aproximar-se o mais possível ou de a forma de trabalhar dos juízes

3-     Ensinar os pássaros a cantar no momento escolhido.

 

As gaiolas com os Malinois serão instaladas sobre uma mesa em duas torres de gaiolas adoçadas, uma por cima da outra de forma que a primeira torre o pássaro A se situará em cima e o B em baixo e na segunda torre o C estará em cima e o D em baixo, naturalmente entre torre e torre haverá uma separação opaca para que os exemplares não se vejam.

Durante meia hora como muito pode-se escutar os diferentes cantores.

Preferentemente faremos este treino diariamente e chegado o momento poderão ir ao seu primeiro concurso, isto efectivamente constitui a ultima fase da aprendizagem, as actividades seguintes incubem ao juiz. Antes de fechar o presente capitulo ainda vamos dar alguns conselhos pouco técnicos, mas de valor para os nossos futuros espertos criadores:

Para poder proceder a um treino e a um controle de os cantores Malinois, fazem falta um mínimo de conhecimentos em matéria de canto e estar dotado de uma mínima dose de ouvido musical.

Não se deve cair no importuno defeito da exageração em este período.

Um pássaro que não cante no treino não cantará no concurso

Não existe nenhuma razão para o desalento ou decepção depois de um primeiro fracasso ou concurso medíocre.

Antes pelo contrário temos de ter todo o interesse em voltar a começar, depois de uma má experiencia ou ensaio num concurso a sorte finalmente chegará.

De todas as formas será desejável que cada um tente a sua sorte pois de a esperança também se vive.

 

O julgamento

 

 

O que é que se entende por julgamento de um pássaro de canto

 

O julgamento de um pássaro de canto é o facto de dar um valor em forma de pontos em relação á forma de como canta.

Este valor de pontos lhe é atribuído segundo as normas bem estudadas.

Disto dependerá:

1-     Do numero de giros ou frases aportados

2-     Da variedade de os giros ou frases aportados

3-     De a qualidade de os mesmos

4-     De a impressão que nos dê a canção dentro do seu conjunto

5-     De as faltas cometidas no canto

6-     Eventualmente de a harmonia de canto quando se trata de um “stam” ou equipa

 

Imediatamente um monte de questões apresentam-se

Em que consiste o estudo do canto do Waterlagers Malinois?

Quais são as normas aplicadas na pontuação?

Como apreciar a qualidade de canto?

Quais são os diferentes giros e suas variantes?

Que entende-se por harmonia “stam”?

 

As respostas detalhadas a estas questões nos conduzem até um conjunto de matéria sobre a qual o juiz basear-se para julgar e dar um valor de pontos ao Malinois.

 

 

Estas respostas estão mais detalhadas nos seguintes:

 

Análise de canto -    http://lgmalinois.webs.com/anlisedecantocanrio.htm

                           

Curso de canto -      http://lgmalinois.webs.com/cursodecantomalinois.htm

                   A herança no canto dos Canários Waterlagers Malinois

Sempre se insistiu que uma perfeita saúde é uma condição e capital para obter uma boa qualidade de canto, além de outros fatores que também tem influência sobre essa mesma qualidade.

1-      A influencia do meio ou entorno

2-      A estrutura hereditária do órgão vocal

3-      A predisposição hereditária para o canto

A influencia do meio ou entorno

Devemos entender como influência do meio ou entorno no que diz respeito ao canto, em primeiro lugar um professor ou maestro de canto apropriado (som ambiente) depois a época o lugar e as circunstancias em que o nosso professor deverá jugar o seu papel.

O maestro-professor apropriado ao canto para os nossos jovens

Para compreender a necessidade de ter á disposição um maestro-cantor ou professor apropriado, é necessário que tenha-mos a ideia clara e nítida do canto que queremos obter ou cultivar, nos nossos jovens exemplares. Assim como a maneira com a que queremos alcançar o nosso objetivo.

Se criarmos o nosso plantel com esta ideia clara e precisa do canto que pretender-mos obter, teremos de dispor do material adequado.                                                                                                                                                No que respeita aos machos que estes possuam as melhores qualidades de canto.  Nas fêmeas que procedam também de bons cantores.

Deduzimos e como resultado, que o pai que possua as qualidades de um maestro-cantor, é o mais indicado para professor dos seus próprios filhos, já que desejamos ter um bom canto que melhor que o seu próprio canto, fruto da nossa seleção para a criação.

Outro objetivo que devemos ter em conta é conseguir a harmonia no canto dos nossos jovens exemplares, assim se estes têm como professor o seu próprio pai, o canto que este lhe transmite ou ensina terá a mesma direção.

Efetivamente devemos estudar a possibilidade de que os nossos jovens canários aprendam a cantar no mesmo sentido, em harmonia, e o melhor que podemos fazer é conseguir um maestro-cantor que possua o mesmos órgão-vocal similar, e onde o poderemos encontrar? A resposta é simples, no próprio pai, tio familiar direto que mais facilmente tenha essa órgão vocal hereditário. Mas o pai é o professor ideal para os filhos.

De estas últimas linhas levantem-se automaticamente uma serie de questões e pormenores que devemos evitar pois podem danificar a qualidade do canto.

Se por adversidades somos impedidos de utilizar o pai como maestro-professor, devemos evitar a todo custo um outro que a direção de canto seja totalmente diferente á que possuam os nossos jovens aprendizes. Iriamos a exigir algo aos nossos exemplares que não lhes era inato, chegariam a dar um canto que nem uma coisa nem outra. A audição de meios artificiais, com misturas podem dar giros e frases negativas, ruídos de máquinas, motores, portas etc. implicam a cópia de notas como riet-riet- piep-piep.

Época, lugar e circunstâncias de as lições de canto

O desejo de cantar surge imediatamente após a muda, geralmente a meio do mês de setembro aparecem os primeiros ensaios do canto, conhecida como canção plástica. É neste momento quando os nossos jovens cantores devem ser ajudados nos seus esforços, já falamos que o melhor professor será o próprio pai. Vamos ao encontro do fator hereditário pela implicação do canto pai-professor.

Enjaulamos os machos em gaiolas individuais de canto e as colocamos por sua vez no armário-escola, este armário se fechará pelo meio de uma cortina que se desliza por uma barra, este sistema é melhor que portas. Todas estas particularidades têm a sua razão de ser e importância para obter um canto de boa qualidade, se assim não fosse o melhor que faríamos era colocar todos os pássaros em grandes voadeiras com boa ventilação e luminosidade, onde seguramente desenvolviam uma melhor forma. Mas estamos a falar e trabalhamos com canários de canto, é precisamente as qualidades de canto as que devemos selecionar e melhorar.

Devemos tomar atenção a:

Enjaular cada canário numa gaiola individual de canto, estas por sua vez devem estar separadas entre elas com folhas de madeira ou cartão com fim de eliminar jogos e lutas entre eles. Que estejam virados para o professor de tal forma que permita que cada um possa escutar e imitar o canto do maestro. Fechar o armário-escola através da cortina, já que se utilizasse-mos portas careciam de a renovação de ar viciado pobre em oxigénio.

Temos de ter em conta que baixo a influencia do meio ou entorno (influencia do maestro-cantor) o canário é capaz de aprender e imitar alguns giros ou frases sem que estes sejam hereditários para a geração seguinte. Por outras palavras uma frase ou giro aprendido, mas que não pertença á direção de canto em questão, desaparece ao mesmo tempo que o canário tenha aprendido a cantar esse giro.

A estrutura hereditária do órgão vocal 

Estudos de anatomia realizados por profissionais de constatada reputação afirmam entre outras coisas, que a estrutura do órgão respiratório, assim como a estrutura da siringe em particular, permite ao canário imitir um canto especial, em outros estudos especificam que as estruturas de esses órgãos é hereditária, estes dois pontos são uma indicação científica de grande importância.

Efetivamente, os canários estão dotados de um órgão vocal excecional, a siringe é como um minúsculo órgão, formada por membranas delicadamente articuladas, funciona pelo o deslocamento do ar que o canário tem em reserva, não só nos pulmões como também nos sacos aéreos que estão em comunicação direta com os mesmos, este ar empurra as membranas por meio de pequenos músculos e assim o canário é capaz de reproduzir nota, vibrações, melodias etc.

Por outra parte pode-nos interessar a forma ou maneira com a qual o pássaro está em condições de servir-se de esse órgão vocal, neste sentido e sempre que se exclui tanto a possibilidade de controlar com a vista a estrutura de este órgão como o facto de deduzir as suas capacidades, sim que podemos ter uma certeza na qual podemos basear-nos: Se um canário emite um canto de qualidade, isto prova também que a estrutura hereditária do órgão vocal que o produz está muito bem formada; Embora devemos ter presente que dita estrutura bem formada de um órgão-vocal nem sempre é uma garantia para obter um canto de qualidade, existem outros fatores como a importância do maestro-cantor, a predisposição hereditária para o canto, e o mais importante a saúde do pássaro em questão, todos estes fatores jogam um papel importante.

Como se compreende todo o sistema vocal está composto de várias subdivisões, tal que a estrutura de as mesmas devem responder a certas exigências, como as combinações possíveis de estas partes secundárias, concluímos que a estrutura é a responsável de a diferença de tom, a forma, a altura, ritmo, a direção do canto e claro depois o valor de esse mesmo canto.

Se queremos fazer uma comparação podemos dizer que cada pássaro de forma individual pode-se considerar como um instrumento musical diferente, construído e dotado com umas determinadas características e que a sua utilização difere em função das capacidades e possibilidades de quem o utiliza. É difícil mais bem impossível de seguir critérios bem definidos no que respeita á herança da estrutura dos órgãos-vocais, as variações que existem são enormes e incontroláveis á primeira vista.

Mas sabemos com certeza que;

Um canto perfeito equivale a uma boa estrutura do órgão-vocal, Esta estrutura é hereditária   Esta estrutura pode determinar uma uniformidade no canto, uma harmonia, que é igualmente hereditária.

Atendendo a uma certa coerência para realizar-se cruzamentos de canários que possuam uma boa harmonia no canto pode-se apesar de tudo prever alguma coisa, assim como já falamos podemos examinar várias e diferentes alternativas para os cruzamentos e os resultados que se possam obter.

Representemos a qualidade “boa estrutura do órgão vocal”  pela letra  “S”  um canário de procedência direta (homozigótico) com uma boa estrutura se formulara por “SS” (dominante) da mesma forma um canário de estrutura inconveniente se formulará por “ss” (recessivo) já podemos realizar os seguintes cruzamentos.

1-      Órgão vocal de boa estrutura em ambos componentes do casal de progenitores

SS  x SS

Atendendo á lei da uniformidade obteremos como resultado na geração filial F1, um 100% de exemplares com boa estrutura do órgão-vocal.

2-      Ambos componentes do casal com uma estrutura inconveniente do órgão –vocal

ss x ss

Seguindo o mesmo raciocínio  obteremos uma geração filial F1 com 100% de exemplares com estrutura vocal inconveniente

Agora um outro cruzamento um componente do casal com boa estrutura e o outro não.

      SS x ss

Em este caso os resultados não se podem estabelecer com certeza já que devemos ter em conta.

Uma vezes o carater dominante, outras o carater recessivo, e outras o carater intermedio. De cada elemento secundário que constitui o sistema vocal e respiratório de cada pássaro, juntemos em cada membro do casal progenitor uma diferença na direção de canto, então é o caos nas possíveis combinações e vai elevar-se até ao infinito.

A experiencia demostra que a cria de maus cantores é infinitamente mais fácil e menos aleatória que a cria de cantores de boa qualidade. A menor divergência respeito ao caminho a seguir, a menor negligencia na atenção a tudo que diga respeito á seleção e cruzamentos dentro do nosso plantel, nos conduzirá inevitavelmente á obtenção de exemplares de pouca qualidade e canto defetuoso. Sem duvida podemos afirmar no canto que as más qualidades dominam as boas. 

Predisposição hereditária para o canto

A predisposição hereditária para o canto, pode-se comparar com respeito ao homem com a vocação, o amor, as possibilidades, a preferência e o gosto que se manifesta por uma profissão, um desporto, ou um hobby, por outra parte todas estas qualidades são as que temos de detetar na juventude, para determinar a direção que tomar na vida no futuro, pensamos aqui na organização profissional.

Igualmente que sucede no homem e afinal de contas somos animais ao mais alto grau mas animais, acontece o mesmo com qualquer animal e em particular com o nosso pássaro de canto, quando este não possui nenhuma predisposição para o canto, nunca poderá chegar a ser um cantor de qualidade, nem que tenha e disponha de uma estrutura do órgão-vocal muito boa, de um professor de canto adaptado, de uma saúde perfeita. A predisposição para o canto manifesta-se, não só pelo amor ao canto, como pela aptidão de cantar bem, já que um cantor de classe compõe e interpreta a canção ao mesmo tempo.

Anatomistas constatados o expressam da seguinte maneira; A predisposição para o canto é hereditária. Os canários estão dotados de uma inteligência hereditária para o canto. Desde este ponto de vista, possuem um conhecimento e aptitudes notáveis de que eles manifestam uma certa vontade e amor pelo seu canto. Assim pois dispomos de uma nova e preciosa indicação sensata, e com a que podemos deduzir teorias que se podem justificar.

Por outra parte, a solução mais adequada e eficaz para determinar uma qualidade que se transmita á geração seguinte, o bem que seja dominante, recessiva, intermedia ou ligada ao sexo, é a investigação familiar, assim os criadores de canários de canto podem, cada um para si mesmo, controlar o comportamento de uma determinada qualidade, nos ascendentes e descendentes dos seus exemplares, e deduzir uma regra de conduta.

Este tipo de investigações já se realizaram, e como certo cuidado no que se refere a seres humanos, entre elas podemos destacar a “predisposição musical” na família do famoso compositor Juan Sebastian Bach. Os resultados da mesma foram muito interessantes e com indicações no que respeita á herança de esta “predisposição musical” o estudo de cinco gerações encontraram-se muito pouca exceções que não mostravam esta predisposição musical, e em linhas ascendentes e descendentes entre os membros de esta família não existia nenhuma exceção.

Assim com esta perspetiva temos a informação quase certa sobre os aspetos hereditários da predisposição para a música. Por outra parte afirmar que esta predisposição é dominante ou recessiva é ir demasiado longe nas conclusões. Efetivamente existem ainda demasiados fatores que podem influir sobre a qualidade do canto do canário que não são controláveis de forma auditiva, alem das demasiadas exigências necessárias para adquirir um canto de qualidade.

Podemos tomar como referência a seguinte afirmação; Um bom canto implica a possibilidade, a capacidade e o gosto pelo mesmo em duas palavras predisposição para o canto.

Cruzamentos

Se representar-mos a predisposição para o canto por PR (dominante) e a ausência desta por pr (recessivo) temos os seguintes cruzamentos

1-      Ambos progenitores com boa predisposição para o canto

                                   PR  x PR

Atendendo á lei da uniformidade obtemos como resultado na geração filial F1 100% com a qualidade predisposição para o canto.

Progenitores sem esta predisposição

                     pr  x  pr

Seguindo o mesmo principio obtemos como resultado na geração filial F1 100% ausência da predisposição para o canto.

Um progenitor com predisposição para o canto e outro com a ausência desta

 

                      PR  x  pr

Neste cruzamento os resultados na geração filial F1 são difíceis de determinar, teoricamente, estes resultados deveriam ser os seguintes:  

25% de exemplares com predisposição para o canto PR 

 50% com aptitudes mas sem certeza, pela predisposição para o canto de procedência indireta, PR. pr

 25% de exemplares sem predisposição  pr  pr

Recordemos que existem ainda muitos outros fatores procedente de os progenitores que podem influir na qualidade do canto, a predisposição do canto por si só não é suficiente, parece supérfluo frisar de novo toda a gama de condições que têm influencia no canto.

As diversas direções de canto

Em consonância com as exposições anteriores devemos frisar o facto de que o canto do canário seguirá sempre uma direção determinada, visto que esta direção é de capital importância para o estudo da herança do canto, e  ainda que esta não é suficientemente conhecida, será necessário fazer um exame profundo da mesma.

Seria um grave erro supor e exigir que um canário emita todos os giros conhecidos e todos os giros possíveis. Efetivamente os giros que emite regularmente e de forma correta estão geralmente emparentados uns com os outros e orientam-se na mesma direção de canto. Esta afinidade nos giros tem a sua explicação na estrutura especial do órgão-vocal, já que está construída e sincronizada de tal forma que é capaz de reproduzir sons e giros que se apresentam com aspeto comum e similar.

O referido é algo normal, já que se permite a comparação. Com um saxofone é impossível produzir musica de um piano. Não se supõe que a voz de um tenor seja capaz como uma voz de soprano.

Por analogia, duas qualidades hereditárias de carater diferente, não podem de nenhuma maneira desenvolver-se simultaneamente no mesmo ser vivo, perante esta afirmação haverá pessoas inclinadas a citar exceções que acontecem na cria dos seus canários, então poderemos responder que as exceções confirmam a regra e que provavelmente neste caso durante o ensino (escola)A direção de canto não se teve em conta A harmonia do canto foi descuidada Perdeu-se o desenvolvimento normal e natural do canto.

A intenção de criar canários que reproduzem todos os giros ou frases é uma utopia, não á que perder de vista o facto de que um canário rico em giros, será sempre pobre em giros de qualidade, não esquecer que a qualidade primará sempre sobre a quantidade.

Por tanto quais são os direções de canto que se podem seguir nos canários? A este respeito podemos distinguir fundamentalmente duas direções de canto em particular.

 O canto de som oco ( seco, sem fundo de agua)                                                                        

 O canto de som aquoso (molhado com jogo de agua )

 Estas duas direções de canto devem estar sempre separadas uma da outra e não é necessário tratar de cruzar-lhas. Para conseguir uma harmonia no canto, um canto natural e de boa qualidade e adaptado á estrutura do órgão vocal do canário devemos limitar-nos exclusivamente a uma direção ou a outra, mas precisamente como distinguir-lhas? Vamos ver

O canto oco    Em primeiro lugar, não tem jogo de água ou todo som aquoso em qualquer giro.        Os sons emitidos são geralmente de uma tonalidade Ouca e profunda como saído de um túnel ou de um balde

O canto aquoso (molhado)     Inclui em qualquer caso todos os giros “molhados” isto é sons de natureza aquosa  junto a estes sons existem os mais duros mas com o seu próprio encanto por exemplo os sons metálicos. Os sons com as vocais “O” e “OU” normalmente estão seguidos de uma “i” e ás vezes com a audição da consoante “l” . os sons i, u, é, ê, são os mais frequentes . um canto de som aquoso apresenta-se de formas muito diversas.

 add text, images, and other content